Bandeira do Camboja: História e Significado

A bandeira do Camboja é o símbolo nacional mais importante deste reino asiático. Ele é composto de duas listras azuis nas extremidades superior e inferior da bandeira e uma faixa vermelha no centro. Dentro da faixa central está uma imagem branca de Angkor Wat, um templo hindu reconhecido como um símbolo nacional.

A dimensão das listras azuis representa um quarto da bandeira cada. Por outro lado, o vermelho ocupa metade do pavilhão. Este símbolo, com a composição atual, foi adotado pela primeira vez em 1948, embora desde 1863 tenha sido usada uma bandeira muito semelhante.

Esta bandeira foi interrompida em 1970 com o início da República do Khmer e permaneceu fora de uso durante o regime comunista. Foi apenas com a restauração da monarquia em 1993 que a bandeira foi totalmente recuperada.

A escolha das cores da bandeira tem uma origem monárquica. No entanto, com o tempo, eles adquiriram seus próprios significados. O azul é geralmente identificado com liberdade e fraternidade, além do rei. Em contraste, o vermelho é representativo da coragem e do país. O Angkor Wat é um símbolo da espiritualidade cambojana.

História da bandeira

A história do Camboja tem sido marcada por diferentes etapas, caracterizadas por sistemas políticos opostos. As bandeiras marcaram decisivamente a representação de cada um desses sistemas.

Império Khmer

O estado cambojano remonta ao século IX. No ano 802, o Império Khmer, também conhecido como Império Angkor, foi fundado. Seu domínio se estendia a grande parte da Indochina e do Sudeste Asiático.

O Império caiu em 1431 por razões que ainda são debatidas entre os historiadores. Desde então, a historiografia definiu o período conhecido como a Idade das Trevas do Camboja, que durou até 1863 com uma preponderância de governos monárquicos.

Sua bandeira era um triângulo amarelo com uma leve borda verde. Sua validade terminou com o início do domínio francês.

Reino do Camboja no protetorado francês (1863-1948)

O Ocidente chegou ao Camboja das mãos dos franceses em 1863. A monarquia assinou um tratado de proteção com o governo francês, que estava expandindo seus domínios na Indochina. Naquela época, uma nova bandeira foi aprovada, bastante semelhante à atual.

A bandeira era um pano vermelho com a imagem de Angkor Wat, branca, na parte central. A maior diferença com a atual é que este símbolo não tem duas listras azuis, mas um quadro dessa cor. Esta bandeira foi mantida ininterrupta até 1948.

No entanto, durante a ocupação japonesa na Segunda Guerra Mundial, uma bandeira diferente foi usada. Este símbolo nunca teve status oficial, e seu uso no país está sujeito a dúvidas.

Reino do Camboja independente (1948-1970)

Após a Segunda Guerra Mundial, os franceses recuperaram o controle de sua colônia. No entanto, as exigências de independência aumentaram. Em 1948, foi decidido mudar a bandeira nacional, do arco azul anterior para as duas listras azuis.

O Camboja tornou-se independente do domínio francês em 1953, e essa continuou sendo sua bandeira nacional. O emblema tornou-se um símbolo da monarquia e é o que é usado atualmente.

Após sua independência, Norodom Sihanouk continuou sendo rei, mas agora como chefe de estado do país. Por sua luta pela independência, ele é considerado o pai da pátria. O monarca abdicou em seu pai para poder fazer política, e foi eleito primeiro ministro.

Mais tarde, com o início da guerra no Vietnã, Shihanouk optou pela neutralidade. Embora ele tenha rejeitado o movimento cambojano do Khmer Vermelho, ele viu com simpatia o movimento comunista de Mao Zedong na China. Essa inação custou-lhe o trabalho.

República do Khmer

Enquanto Shihanouk estava em uma viagem oficial na China, o General Lol Non o derrubou. Lol, ex-aliado de Shihanouk e recentemente eleito primeiro-ministro, proclamou a República do Khmer com o apoio dos Estados Unidos.

Com essa mudança de governo, a Guerra Civil Cambojana cresceu e o Camboja serviu como a base dos EUA para a Guerra do Vietnã.

A bandeira escolhida pelo regime Lol Non era um tecido azul com um retângulo vermelho no canto superior esquerdo. Como é tradicional, este segmento incluiu o Angkor Wat. Na parte superior do lado azul, três estrelas brancas de cinco pontas foram incorporadas.

Kampuchea Democrático

Quando as tropas americanas se retiraram do Camboja, o guerrilheiro comunista do Khmer Vermelho assumiu o poder. Saloth Sar, seu líder, presidiu o país com o nome de Pol Pot. O ditador adotou uma política de terror, criando campos de trabalhos forçados e gerando um dos mais trágicos genocídios do século XX.

O Camboja naquela época foi renomeado como Kampuchea. Seus símbolos patrióticos mudaram em função da ideologia. A bandeira tornou-se um vermelho profundo, com uma silhueta de Angkor Wat na cor amarela no centro.

República Popular do Kampuchea

A ditadura de Pol Pot sempre foi um inimigo do Vietnã vizinho, apesar do fato de que ambos compartilhavam o comunismo como um ideal. Uma invasão vietnamita depôs o regime do Kampuchea Democrático em 1979. No poder estavam os exilados do Khmer Vermelho no Vietnã e o país se tornou um estado satélite de seu vizinho.

O governo do satélite vietnamita foi apoiado pela União Soviética e repudiado pela China e pelos Estados Unidos. Por essa razão, no nível internacional, o Khmer Vermelho ainda era reconhecido como um governo, que havia recuado para o interior do país e começado a atuar como guerrilheiro.

O Camboja não era mais um país estável, pois o Khmer Vermelho se aliara em parte aos monarquistas e anticomunistas para lutar contra os vietnamitas. O conflito diminuiu até a queda do Muro de Berlim e a dissolução da URSS fez com que os vietnamitas deixassem o país.

A bandeira que foi usada foi uma variação daquela do Kampuchea Democrático. A cor vermelha permaneceu, mas o amarelo Angkor Wan era muito mais detalhado.

Estado do Camboja

O regime vietnamita sofreu mutação com mudanças constitucionais. A República Popular do Kampuchea passou a ser simplesmente o estado do Camboja. Essa mudança causou a modificação dos símbolos nacionais, a reintegração do budismo como religião nacional, a abolição da pena de morte, entre outros.

A bandeira escolhida para o novo estado incluía duas faixas horizontais do mesmo tamanho, das cores vermelha e azul. Na parte central, o Angkor Wat foi apresentado de forma muito mais detalhada e amarela.

Retorno do Reino do Camboja

As quatro facções que lutaram no Camboja contra os vietnamitas, além da monarquia anterior, assinaram os Acordos de Paris. A ONU esteve presente até que um governo de transição foi formado em 1993.

Enquanto isso acontecia, uma bandeira azul-clara com o mapa do país acenou para o país. Isso fez referência à missão da ONU, a Autoridade Provisória das Nações Unidas no Camboja.

Finalmente, a constituição do país que restabeleceu a monarquia constitucional foi aprovada. Por essa razão, a bandeira do Reino do Camboja, que estava em vigor entre 1948 e 1970, foi re-adotada.

Significado da bandeira

Deus, rei e país são os

Por seu turno, a cor vermelha é a marca da coragem do povo cambojano em diferentes épocas da sua história. Por este motivo, refere-se ao país como um todo.

Finalmente, o desenho de Angkor Wat é aquele que representa tradições, integridade e justiça. Isso leva a que seja o símbolo favorito da religião, um aspecto transcendental na vida de milhões de cambojanos.

Referências